top of page

Liderança Alterista x Liderança Comum, qual o seu perfil?

*Cris Zanata


Uma liderança alterista é aquela dotada de propósitos e valores verdadeiros, que acredita que tem uma missão, uma mensagem e um ensinamento para ser transmitido para outras pessoas.

Este é o perfil de líder que as empresas precisam e buscam nos dias atuais e é possível usar conhecimentos e habilidades para atingir essas características.

Se você quiser se tornar um(a) líder alterista vai precisar agir como uma pessoa doadora alterista.

A pessoa alterista é aquela definida como doadora em uma corporação, ou seja, é aquela que se preocupa com os demais, que está disposta a ajudar, ensinar, colaborar, que sabe ouvir seus/suas colegas de trabalho, mas que age levando em conta seus propósitos e pensando naquilo que é bom para todos(as).

Um(a) líder alterista se diferencia dos demais porque não somente passa as instruções para a equipe, mas trabalha junto visando o interesse comum. Ele(a) motiva e direciona a equipe para trabalhar em conjunto e focar em uma causa única.

Para se tornar um(a) líder alterista é importante que você compreenda as atitudes de cada perfil de líder e analise com atenção suas diferenças.


CENÁRIO: SUA EQUIPE ESTÁ PASSANDO POR UMA SITUAÇÃO DESCONFORTÁVEL COM O CLIENTE.

  • Atitude sobre a responsabilidade da negociação

LÍDER ALTERISTA – conversa com a equipe e tenta encontrar soluções em conjunto, além de instruir a equipe de uma forma que não seja prejudicial para nenhuma parte.

LÍDER COMUM – joga a responsabilidade para a equipe e a responsabiliza pela situação, além de não tomar uma atitude para resolver e melhorar a relação.

  • Atitude sobre a habilidade técnica

LÍDER ALTERISTA – por ter habilidades, consegue ajudar a equipe a encontrar soluções e quando não tem habilidade técnica chama a equipe e escuta suas opiniões.

LÍDER COMUM – não tem habilidade técnica porque não tem interesse e não abre espaço de fala para a equipe.


  • Atitude sobre a transferência de conhecimento

LÍDER ALTERISTA – enxerga o conhecimento como uma forma de transformar as pessoas e não tem medo de transferir este conhecimento.

LÍDER COMUM – apresenta insegurança e retém o conhecimento e não transmite porque trabalha de maneira centralizadora e se sente ameaçado(a).


Como agir como líder alterista?


Um(a) líder alterista é aquele(a) que luta pelos seus ideais, valores, propósitos e que entende que o compartilhamento de conhecimento gera transformação para outras pessoas. Tem consciência que o conhecimento, argumentos e pensamentos são seus, mas é possível dividir sua expertise com outras pessoas como forma de crescimento contínuo. Além disso, cria novas maneiras de pensar e se comunicar com os demais.

As características e atitudes de uma liderança alterista estão conectadas com as competências relacionais, que são necessárias para conseguir se diferenciar do grupo de líderes que alcançam grandes posições, mas não desenvolvem a capacidade de se relacionar com suas equipes, pares, etc.

As competências relacionais funcionam como um código de ética e devem ser analisadas tendo em vista os valores e atitudes dos envolvidos.

Segundo o terapeuta e escritor dinamarquês Jesper Juul, é possível definir as competências relacionais como sendo um conjunto interconectado de atitudes e valores relacionais.

De acordo com ele, existem 3 elementos centrais que formam as competências relacionais:

  1. Respeito igual pelas partes

  2. Autenticidade

  3. Responsabilidade pela relação

RESPEITO IGUAL PELAS PARTES

Descreve a atitude individual acerca das diferenças entre sua própria cognição, intenção e emoções e das outras pessoas.

Mede a disposição e abertura individual para aprender e reconhecer os sentimentos, intenções e pensamentos alheios e respeitá-los e tomá-los a sério como se fossem seus.

O valor básico pode ser chamado de igual valor e considera cada indivíduo tão valioso quanto o outro.

Cada expressão individual de alguém em forma de intenção, emoção, pensamentos é considerada com um significado e deve ser tomada a sério, mesmo quando você não concorda uma determinada situação.

Dentro do conceito das competências relacionais, esta atitude significa que você presta atenção nos outros sem condenar ou depreciar a outra pessoa.


AUTENTICIDADE

Descreve a disposição e abertura para ser quem você é e mostrar suas emoções, intenções e pensamentos em uma relação.

Ao invés de manter suas experiências internas e externas em segredo, elas são demonstradas com transparência na relação com o outro(a) com o objetivo de que o outro saiba, compreenda e divida suas experiências com você.

A suposição básica aqui é que as relações somente desenvolvem autenticidade se as partes dividirem experiências de uma maneira autêntica.

Em conjunto com a atitude de respeito pelo outro, a autenticidade desenvolve um alto grau de compartilhamento e proteção (cuidado).


RESPONSABILIDADE SOBRE A RELAÇÃO

Descreve uma habilidade individual e supõe ver você ou as outras pessoas como partes decisivas e influentes na relação.

Este conceito implica que o indivíduo está tomando medidas ativas para induzir mudanças quando surgem problemas, em vez de apenas colocar a culpa no outro.

Além disso, um indivíduo que aceita sua responsabilidade pelo relacionamento tende a refletir sobre o seu comportamento específico dentro da relação e sabe que relacionamentos bem-sucedidos dependem da ação de todos os envolvidos.

O pressuposto é que os relacionamentos melhoram se ambos os parceiros se veem como partes responsáveis ​​do relacionamento e expressam a vontade de se auto refletir e mudar quando os problemas ocorrem.


Ser líder é um eterno aprendizado.

É entender que é preciso se posicionar sobre aquilo que você fala e quer ensinar. É ter consciência da importância de como você coloca a sua mensagem para sua equipe e para o mundo.

Comece a pensar naquilo que você pode fazer para se tornar um grande líder alterista.


Busque as oportunidades para poder se expressar melhor, ajudar e inspirar mais pessoas por meio da transferência de seus conhecimentos!


*Cris Zanata - CEO e Fundadora do InsAB


12 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page