top of page

CUIDAR DO SOCIAL INTERNO É A MELHOR MANEIRA PARA EVITAR O BURNOUT

Cris Zanata


Sabe a sensação de escutar o despertador e achar que acabou de deitar, que o relógio está errado e sua única vontade é de continuar na cama?

Isso acontece devido ao cansaço contínuo, a falta de energia para iniciar um novo dia e o desânimo frequente que afeta o desempenho e a produtividade no trabalho. Os índices de esgotamento emocional profissional "burnout" estão aumentando cada vez mais e as mulheres são as que mais sofrem com esta síndrome, pois as tarefas aumentam e não sobra disposição para focar no que realmente desejam fazer.

O relatório "Women in the Workplace" de 2022 da Mckinsey & Compnay e LEAN IN trouxe um dado muito preocupante em sua pesquisa realizada com 40.000 colaboradoras e colaboradores em 333 organizações nos Estados Unidos e Canadá: as mulheres líderes são 2x mais propícias a investirem o seu tempo em trabalhos relacionados à diversidade, equidade e inclusão do que os homens líderes, gerando como consequência um esgotamento emocional "burnout" em mulheres, chegando à 43%, comparado com 31% em homens.

Longe de cair em um sentimentalismo ou um essencialismo, esta ideia de cuidar das outras pessoas é uma construção social e uma carga que a mulher sustenta em seus ombros dentro e fora das empresas. E isso pode ser demonstrado neste relatório, o qual revela que as mulheres líderes passam mais tempo e gastam mais energia oferecendo suporte referente ao bem-estar, diversidade, equidade e inclusão do que os seus pares homens. Este tipo de cuidado leva a uma excessiva carga de trabalho, um desgaste e uma falta de reconhecimento.


O que é o burnout?


O burnout é o estresse crônico específico relacionado ao trabalho. É a exaustão emocional e física que leva à insatisfação das atividades profissionais e à perda da felicidade pessoal.

O esgotamento emocional traz consequências graves para a saúde mental e física da mulher, pois reduz a energia feminina, a motivação, o foco, a concentração, o ânimo, a libido, entre outras coisas.

Esses sintomas atrapalham a sua determinação e contribuem para que desista de seguir em frente com seus projetos pessoais e/ou profissionais.

Isso é tão sério que desde de 1º de janeiro de 2022, o “burnout” foi reconhecido como doença do trabalho pela OMS e passou a fazer parte da lista desta organização (CID-11). Agora as empresas são responsáveis pelo esgotamento emocional de seus colaboradores e precisam promover ações que promovam o seu bem-estar de forma contínua.


Causas do burnout?

Há muitas coisas que podem levar ao esgotamento do trabalho, mas existem fatores comuns que podem ser identificados:

  • Não ser capaz de tomar decisões sobre sua agenda ou carga de trabalho;

  • Estar inseguro(a) sobre as expectativas dos outros membros da equipe ou superiores;

  • Uma cultura de trabalho ruim em que você não se identifica com a atitude e o moral das pessoas ao seu redor;

  • Falta de equilíbrio entre vida profissional e pessoal;

  • Engajamento excessivo com o trabalho e não perceber o momento certo de dizer não.

Efeitos do burnout


Físico

- Fadiga;

- Maior probabilidade de doença cardíaca;

- Maior probabilidade de pressão alta;

Saúde mental

- Irritabilidade;

- Ansiedade;

- Isolamento de amigos e familiares;

- Falta de foco;

- Insatisfação com tudo;

- Falta de vontade de fazer o trabalho.


O que fazer para prevenir?

Priorize o autocuidado:

Adote bons hábitos de sono, nutrição, exercícios, conexão social e práticas que promovam o bem-estar. Uma simples caminhada em meio à natureza pode fazer uma grande diferença nesses momentos.

Mude sua perspectiva:

  • Quais aspectos da sua situação são fixos e quais você pode mudar?

  • Existem maneiras de reformular seu trabalho para obter mais controle ou se concentrar nas tarefas mais gratificantes?

  • É possível construir relacionamentos positivos e de apoio para neutralizar aqueles que a esgotam?

  • E se você estiver se sentindo ineficaz, que assistência ou desenvolvimento você pode procurar?

  • Se o reconhecimento estiver faltando, você poderia conversar com alguém sobre isso?

  • Reduza a exposição a estressores do trabalho

  • Redefina as expectativas de colegas, clientes e até familiares sobre as responsabilidades e tarefas que está disposta a assumir, bem como as regras básicas para trabalhar em conjunto.

  • Trabalhe a Cultura da Generosidade Alterista (com limites) em você e na empresa.

  • Aprender a dizer não sem se sentir culpado (a) é transformador e essencial para garantir um ambiente saudável. A cultura da generosidade é capaz de criar um ambiente leve, harmonioso e ao mesmo tempo produtivo, permitindo que as pessoas perguntem e solicitem ajuda sem medo.

  • Busque conexões.

O melhor antídoto para o esgotamento é buscar interações interpessoais ricas e desenvolvimento pessoal e profissional contínuo.

Encontre mentores e grupos que possam ajudá-la a identificar e ativar relacionamentos positivos e oportunidades de aprendizado.


Como pode perceber o caminho para evitar o esgotamento físico existe e depende de ações conjuntas entre empresa e colaboradores para a quebra do círculo vicioso e negativo que faz as pessoas deixarem de acreditar em seu potencial.


*Cris Zanata - CEO e Fundadora do InsAB






19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page