top of page

A DIVERSIDADE É CAPAZ DE POTENCIALIZAR BONS RESULTADOS E A ÁREA DE RECURSOS HUMANOS

Por: Cris Zanata

A DIVERSIDADE É CAPAZ DE POTENCIALIZAR BONS RESULTADOS E A ÁREA DE RECURSOS HUMANOS TEM PAPEL FUNDAMENTAL NESSA TRANSFORMAÇÃO.

A diferença entre diversidade e inclusão pode ser explicada pela frase da educadora e consultora de diversidade, Verna Myers: “diversidade é ser convidada

para a festa e inclusão é ser convidada para dançar.” 

Eu incluiria: “e igualdade é você convidar para dançar qualquer pessoa.”

Quando tratamos de diversidade temos que olhar o coletivo.


O olhar sobre diversidade é amplo e requer estratégias, metas e comunicações assertivas e específicas para que a cultura da diversidade seja implementada dentro da empresa de forma genuína e contínua.

Falar sobre inclusão é falar sobre pessoas com identidades diferentes sendo valorizadas, se sentindo pertencentes, bem-vindas e acolhidas em um mesmo ambiente. Não adianta nada uma organização ter um ambiente diverso se as pessoas que fazem parte das equipes não se sentirem valorizadas, apoiadas ou com as mesmas oportunidades de promoção dos demais, por serem mulheres ou negros, por exemplo.


O olhar sobre a inclusão é específico, portanto, é preciso analisar as experiências das minorias dentro das empresas para saber se estas pessoas se sentem pertencentes ao ambiente onde trabalham. A igualdade está relacionada ao acesso às mesmas oportunidades, o que significa oferecer o mesmo tratamento para todos os membros de um determinado grupo de pessoas.


E como fica a equidade nesse contexto?

A equidade significa a promoção de iguais oportunidades para os membros desse grupo, levando em conta suas diferenças e particularidades. Seu objetivo é promover um tratamento mais justo entre as pessoas. Temos que ter em mente o princípio de que pessoas diferentes precisam ser tratadas de forma distinta para que alcancem as mesmas oportunidades. Quando falamos de equidade, antes de mais nada, é preciso reconhecer, assumir e aceitar que existem vantagens e barreiras, para só depois se comprometer com a mudança.


O olhar sobre a equidade é analítico e exige comprometimento por parte da empresa. É nesse ponto que a área de Recursos Humanos deve estar atenta para contribuir e construir políticas que auxiliem na real transformação. É necessário identificar o desequilíbrio que existe e criar processos para solucionar e equalizar as diferenças entre salários, cargos, seleção, tarefas, oportunidades, entre outros.


O melhor da diversidade é sua capacidade de potencializar bons resultados:


1. Empresa mais lucrativa e competitiva:

As instituições que investem em diversidade têm mais chances de obter resultados positivos. De acordo com uma pesquisa realizada pela McKinsey' Company, empresas com diversidade étnica apresentam 33% mais chances de sucesso e as com diversidade de gênero costumam ser 21% mais lucrativas.

Segundo a McKinsey, isso ocorre porque as empresas que investem na diversidade atraem os melhores profissionais, além de focar na experiência do cliente, devido à identificação entre consumidor e colaborador. Além disso, geram uma maior satisfação dos funcionários, melhoram os processos de tomada de decisões e conseguem uma melhor comunicação com diferentes perfis de clientes.


2. Funcionários mais engajados e colaborativos:

Em empresas onde se desenvolvem ações de diversidade, os colaboradores se mostram 17% mais dispostos, enquanto a ocorrência de conflitos é 50% menor. Esses dados são apresentados em um estudo da Harvard Business Review. De acordo com a instituição, na medida em que uma instituição valoriza as diferenças, o seu público interno se sente mais à vontade para dialogar, aprender e compartilhar suas experiências, abrindo mais espaço para a cooperação.


3. Maior senso de pertencimento

Quando uma empresa 'abre as portas' para a diversidade, ela valoriza a criatividade e estimula as trocas de conhecimentos e experiências. Deste modo, cria-se um ambiente de maior aprendizado e engajamento, além de torná-los mais leves e acolhedores.


Há várias consequências positivas ao adotar a diversidade como cultura, entre as quais se destacam:

● melhora o clima organizacional;

● diminui a rotatividade;

● gera maior flexibilidade entre as equipes;

● gera menor resistência às mudanças.


Nas instituições preocupadas com a diversidade, os colaboradores se sentem mais pertencentes e têm prazer em 'vestir a camisa' da corporação. Nessas empresas, 76% dos colaboradores admitem ter espaço para expor novas ideias e inovar no trabalho, conforme aponta um estudo da Hay Group, uma consultoria global de gestão de negócios.


4. Mais criatividade e inovação

Empresas mais diversas registram o dobro de patentes do que as empresas sem políticas e práticas de diversidade, de acordo com estudo publicado pela revista Financial Management. A diversidade funciona como um fator estratégico e um diferencial no mercado. A união entre diversas culturas, origens e visões de mundo aumenta a probabilidade de se desenvolver soluções melhores e mais simples para desafios complexos. São diferentes experiências e vivências somadas para a resolução de um obstáculo, neste caso, o confronto de opiniões divergentes é um mecanismo saudável e importante para o desenvolvimento do negócio.


5. Atração e retenção de talentos

Um estudo da Randstad, uma multinacional holandesa de Recursos Humanos, mostra que 87% dos profissionais de todo o mundo valorizam o tema da diversidade. No Brasil, esse percentual chega a 91% das pessoas.

A imagem pública projetada por empresas que promovem a diversidade reflete um maior compromisso da instituição com valores e responsabilidade social. Esses aspectos são muito valorizados tanto pelos consumidores quanto por jovens talentos e investidores. A área de Recursos Humanos pode e deve usar essa imagem nos processos de recrutamento e seleção para atrair profissionais talentosos e que aspiram trabalhar em empresas que tenham afinidade com seus valores pessoais.


O que podemos concluir é que a diversidade é essencial para promover o crescimento sustentável de uma empresa, principalmente em um momento em que as pessoas estão mais conectadas com o seu propósito e querem um compromisso sério por parte da liderança. Por esta razão, a construção de um ambiente generoso alterista (com limites) é fundamental e precede a implementação de qualquer projeto de diversidade, equidade e inclusão, pois prepara as pessoas para uma mudança cultural verdadeira e legítima.


O Instituto de Alterismo do Brasil - InsAB - acredita que investir em diversidade é firmar um compromisso interno e externo com o respeito, o bem-estar, a produtividade e as relações de melhor qualidade.



*Cris Zanata - CEO e Fundadora do InsAB

Conheça mais sobre o InsAB, acessando o site: www.insab.com.br

Siga o InsAB nas redes sociais:

Instagram: @criszanatainsab

40 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page